MENSAGEM AOS PARTICIPANTES DA CONFERÊNCIA NACIONAL PROMOVIDA PELA COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES

by Mídia PR Posted on

Tema: DEMOCRACIA EM TIMOR-LESTE: REALIZAÇÕES E DESAFIOS

Através desta mensagem faço chegar a minha saudação calorosa ao senhor Presidente da Comissão Nacional de Eleições, aos senhores Comissários, aos colaboradores da CNE e a todos os que, pela sua atividade, contribuem diariamente para as realizações deste órgão que tem entre as suas missões trabalhar para assegurar a neutralidade eleitoral da administração e do Estado.

Saúdo os senhores conferencistas e todos os participantes nesta Conferência Nacional sobre a Democracia em Timor-leste: Realizações e Desafios.

A Comissão Nacional de Eleições tem desenvolvido de maneira continuada iniciativas para promover o esclarecimento e formação sobre a relação entre os direitos democráticos, os deveres dos cidadãos e o funcionamento do sistema eleitoral. Tomo esta ocasião para elogiar esta atenção e estas iniciativas da Comissão Nacional de Eleições.

O esclarecimento e o debate sobre a cidadania são indispensáveis para o funcionamento do sistema democrático e a promoção da participação ativa dos cidadãos na vida política e no desenvolvimento social e económico do país.

Quero transmitir à CNE e a todos os participantes que o tema escolhido para esta Conferência Nacional é um tema muito oportuno para o país, neste momento.

A vitória do povo e a Restauração da Independência trouxeram, pela primeira vez, à nossa terra a democracia e o respeito pela dignidade dos cidadãos.

O que construímos nestes quase 16 anos, desde a Restauração da Independência em 20 de Maio de 2002, é o resultado do exercício da democracia.

Foi através da democracia que reconstruímos esta terra devastada e que fizemos o nosso país.

As realizações do nosso povo nestes quase16 anos merecem ser elogiadas, estudadas e analisadas, para podermos tirar lições importantes para o futuro.

As realizações da democracia em Timor-Leste são muitas e muito importantes.

Mas, a nossa democracia, e toda a nossa sociedade, enfrentam também desafios.

O maior desafio democrático é sem dúvida a nossa capacidade para desenvolver a sociedade, a economia e melhorar as condições de vida do povo.

Este desafio é o mais importante que a sociedade timorense enfrenta desde o fim da guerra e a vitória do povo.

Com humildade e com determinação, temos de encontrar o caminho para transformar a democracia e a participação ativa dos cidadãos, em instrumentos para desenvolver a nossa economia e da nossa sociedade – e transformar o nosso país numa Nação com mais bem estar.

Quando penso nos desafios da democracia em Timor-Leste penso, em primeiro lugar neste desafio: desenvolvermos o país, criarmos uma vida melhor para todos nesta terra amada.

O funcionamento da democracia, a participação dos cidadãos, tem na minha opinião esse objetivo final: transformar a dignidade dos cidadãos num instrumento de desenvolvimento social.

Atravessamos nos últimos meses uma fase de incerteza política. Este é um bom momento para perguntarmos a nós próprios: como podemos – cada um de nós, cada cidadão e cada filho e filha de Timor-Leste – ajudar a democracia e o sistema político de Timor-Leste a alcançar os resultados de desenvolvimeto nacional que nós ambicionamos? Essa é a minha preocupação diária.

Apelo aos timorenses para terem esta preocupação no coração, para podermos atingir o país melhor com que sonhamos desde os tempos da luta e da Resistência.

Quando lutámos pela liberdade, sonhámos sempre em governarmos o país com as nossas próprias mãos para fazer – finalmente – um país melhor para todos.

Vencemos a luta. Ganhámos a paz. Mas ainda não realizámos esse sonho de acabar com a pobreza, de tornar Timor-Leste um país desenvolvido e com mais bem estar.

Temos de persistir neste objetivo. Não podemos desistir dele.

Termino esta breve mensagem com votos de bom debate e bom trabalho a todos os participantes desta Conferência Nacional.

Faço votos de que os vossos trabalhos e o debate que vão realizar possam contribuir para ajudar o país e todos nós a transformarem a democracia num instrumento dos cidadãos, para realizar o nosso objetivo nacional de transformar Timor-Leste, nos próximos dez anos, num país de rendimento médio alto, sem pobreza e com mais bem estar para todos os timorenses.

Vamos trabalhar juntos para reforçar a democracia, e produzirmos os resultados que o povo espera e deseja.

Viva o povo timorense. Viva Timor-Leste.

Díli, 26 janeiru 2018