PRESIDENTE DA REPÚBLICA AUSCULTA CONFISSÕES RELIGIOSAS E EMPRESÁRIOS SOBRE ORÇAMENTO GERAL DO ESTADO PARA 2019

by Mídia PR Posted on

 

COMUNICADO DE IMPRENSA

Palácio Presidencial Nicolau Lobato, Díli, 9 de janeiro de 2019

No terceiro dia de auscultação, o Presidente da República Francisco Guterres Lú Oloesteve reunido com representantes de confissões religiosas e da Câmara de Comércio e Indústria de Timor-Leste para falar sobre a lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019.

Os representantes das confissões religiosas, nomeadamente das Dioceses de Díli e Baucau representadas pelos respetivos bispos, da Assembleia de Deus, da Igreja Protestante de Timor-Leste, do Conselho Nacional Islâmico de Timor-Leste e da fé budista, louvaram a iniciativa do Chefe de Estado de ouvir as confissões religiosas sobre um assunto de interesse nacional.

Na ocasião, o Bispo da Diocese de Díli, Dom Virgilio do Carmo da Silva, disse que o povo aguarda uma mudança política, num ambiente no qual os líderes trabalham em conjunto em prol do bem-estar do povo, pelo que é necessário promover o diálogo com vista a resolver o impasse político. Dom Virgílio defendeu ainda que é necessário um maior esforço do Estado nas áreas da educação, saúde, emprego e agricultura.

O presidente do Conselho Nacional Islâmico de Timor-Leste Ahmad Ali Alayudisalientou a importância do OGE e da diversificação da economia através das áreas produtivas com vista a reduzir a dependência de bens importados.

Já o Bispo da Diocese de Baucau, Dom Basílio do Nascimento,

“Comparou o orçamento a um coração, por onde circula o sangue que alimenta o corpo. No entanto, salientou, os cidadãos também devem contribuir para o Estado, o qual deve saber identificar as necessidades e áreas prioritárias e promover a distribuição equitativa da riqueza”.

No encontro com representantes da Câmara de Comércio e Indústria de Timor-Leste, o respetivo presidente Oscar Lima e a sua delegação partilharam a sua opinião sobre o OGE e informaram o Chefe de Estado das atividades económicas levadas a cabo pelos empresários timorenses, as quais requerem a intervenção do Estado para promover a realização de iniciativas para aumentar a produção nacional.

A Lei do Orçamento Geral do Estado para 2019, no montante de 2,1 mil milhões de dólares, foi submetida ao Presidente da República a 24 de dezembro de 2018. O Chefe de Estado tem agora trinta dias para decidir se promulga ou veta o diploma, o qual prevê um acréscimo de 650 milhões em relação ao orçamento do ano passado para a aquisição de ações da ConocoPhillips e da Shell.

No âmbito do processo de análise em curso, o Presidente da República continuará a auscultar as várias entidades até 10 de janeiro de 2019 antes de tomar uma decisão.

Amanhã, 10 de janeiro de 2019, o Chefe de Estado irá reunir-se com representantes do Banco Central de Timor-Leste.

FIM