S.E Dr. Francisco Guterres Lú Olo

BIOGRAFIA

DO DR. FRANCISCO GUTERRES,

PRESIDENTE DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE

Francisco Guterres Lú Olo

Francisco Guterres nasceu a 7 de Setembro de 1954, em Ossú, Distrito de Viqueque. Lú Olo é católico, tendo frequentado, de 1963 a 1969, o ensino primário no Colégio de Santa Teresinha de Ossú. Após frequentar o Liceu de Díli, voltou, em 1973, ao Colégio de Santa Teresinha, como monitor escolar.

Francisco Guterres Lú Olo (nome oficial do Presidente da República) é casado com Cidália Lopes Nobre Mouzinho Guterres, com quem tem quatro filhos (Francisco, Eldino, Felezito e Dália).

Longa é a sua caminhada política de activo elemento da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (FRETILIN), desde simpatizante a membro do Comité Central da FRETILIN e, mais tarde, seu Presidente.

Lú Olo, jovem com personalidade contestatária, mas com consciência imbuída de moralidade resultante da sua instrução com os Padres Salesianos, aderiu à FRETILIN em 1974. Antes da invasão indonésia a Timor-Leste, Lú Olo destacou-se como militante da FRETILIN na zona de Ossú, distrito de Viqueque, divulgando junto das populações o Manual e o Programa Político da FRETILIN. Em 1975 iniciou a sua vida de guerrilheiro como membro do pelotão das FALINTIL, sob o comando de Lino Olokasa, na Região do Centro Leste, junto ou nas zonas periféricas de Ossú.

Em Junho de 1976, foi transferido para a região da Ponta Leste tendo aí assumido o cargo de Secretário da Zona Costeira (Leste e Oeste), uma zona próxima do Comité Regional Ravina Leste, onde actuava, na qualidade de adjunto, Xanana Gusmão, então membro do Comité Central da FRETILIN.

De 1977 a 1981, exerceu o cargo de Delegado do Comissariado do Sector Ponta Leste.

Em Março de 1981, realizou-se a I Conferência Nacional para a Reorganização da Resistência. Lú Olo foi nomeado Adjunto responsável pela parte central de Timor-Leste.

Em Julho de 1982, ainda como Adjunto, foi colocado na região Centro Leste (Nakroma), fazendo parte do Comando da 3.ª Companhia da Guerrilha, sob o comando de Fera Lafaek. Passou a assumir, entretanto, o cargo de Comissário Político, a partir de 1984.

Em 1987, foi colocado, como Comissário Político das Forças Armadas, na Região do Cruzeiro, Região Centro Sul e Norte (Aileu e Manatuto).

Em 7 de Dezembro de 1987, na sequência da reorganização da Resistência, as FALINTIL deixaram de ser o braço armado da FRETILIN.

Em 31 de Dezembro de 1988, foi criado o CNRM (Conselho Nacional da Resistência Maubere) para substituir o CRRN (Conselho Revolucionário da Resistência Nacional). Resultante deste reajustamento estrutural da Resistência, em 1990, foi criada a Comissão Directiva da FRETILIN (CDF), como componente política do CNRM. Três anos mais tarde, imediatamente após a captura do Ma’Huno, secretário da CDF, Lú Olo passou a assumir o cargo de Vice-Secretário desta componente política.

Em 1998, Lú Olo passou a assumir o cargo de Secretário da CDF, após a morte do Comandante Konis Santana, que exercia aquelas funções.

Já em 1998, por proposta de Lú Olo, como Secretário da CDF, organizou-se, em Sydney, Austrália, uma Conferência Extraordinária da FRETILIN com vista à reorganização dos seus órgãos de Direção. A CDF deu lugar ao Conselho Presidencial da FRETILIN, tendo Lú Olo sido eleito Coordenador-Geral deste Conselho.

Ainda em 1998, na Convenção Nacional Timorense realizada em Peniche, Portugal, é criado o Conselho Nacional da Resistência Timorense (CNRT) com o objectivo de aprofundar a unidade nacional entre os cidadãos timorenses, na Luta pela Libertação Nacional. Lú Olo acumulou, assim, os cargos de membro do Conselho Político-Militar (na Resistência Armada), de Coordenador-Geral do Conselho Presidencial da FRETILIN, de membro da Comissão Política Nacional do CNRT (CPN/CNRT) e de Secretário da Frente Política Interna (FPI/CNRT).

Com o fim da ocupação e da guerra em Timor-Leste, após o Referendo de 1999, Lú Olo desceu das montanhas, com as FALINTIL, para Aileu.

Em Maio de 2000, presidiu a Conferência Nacional de Quadros da FRETILIN. Seguiu-se a reorganização das estruturas do partido.

Em Fevereiro de 2001, Lú Olo entregou a sua arma e munições ao Comando das FALINTIL em Aileu.

Em Julho de 2001, no I Congresso Nacional Extraordinário da FRETILIN, Lú Olo foi eleito Presidente do partido.

De 15 de Setembro de 2001 a 20 de Maio de 2002 assumiu o cargo de Presidente da Assembleia Constituinte de Timor-Leste.

De 20 de Maio de 2002 até 31 de Julho de 2007 exerceu as funções de Presidente do Parlamento Nacional da República Democrática de Timor-Leste (segunda figura da hierarquia do Estado).

Kofi Annan, na qualidade de Secretário-Geral da ONU, fez a passagem da responsabilidade que detinha a ONU sobre Timor-Leste para o Presidente da Assembleia Constituinte, Francisco Guterres Lú Olo. Doravante, a Assembleia Constituinte passou a ser o Parlamento Nacional e foi na qualidade de Presidente do Parlamento Nacional que fez a Declaração da Restauração da Independência e presidiu a cerimónia de investidura do Presidente da República, Kay Rala Xanana Gusmão, no dia 20 de Maio de 2002.

A participação activa na luta de libertação nacional impediu Lú Olo de prosseguir estudos. Apenas em 2005, já como Presidente do Parlamento Nacional de Timor-Leste, voltou a estudar. Em 2011, concluiu o curso de Direito na Faculdade de Direito patrocinado pela Fundação das Universidades Portuguesas (FUP), na Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, tendo recebido a sua graduação a 24 de Abril de 2012.

Nos termos do Decreto do Presidente da República n⁰56/2006, de 5 de Dezembro, foi condecorado em 7 de Dezembro de 2006 pelo Presidente da República, Kay Rala Xanana Gusmão, com o Título Honorífico da Ordem da Guerrilha, 1⁰ Grau-Nível Superior, em reconhecimento dos seus Cargos Políticos na Frente Armada, dentre os quais, o de Comissário Político, Coordenador-Geral do Conselho Presidencial da FRETILIN, Secretário da Comissão Directiva da FRETILIN, Coordenador do Conselho Político-Militar, Secretário do Conselho Executivo da Luta/Frente Clandestina e Secretário da Frente Política Interna/CNRM.

No II Congresso da FRETILIN, em Maio de 2006, Lú Olo foi reeleito Presidente do partido.

Em Abril de 2007, Lú Olo foi candidato às Eleições Presidenciais pela FRETILIN, tendo sido o mais votado na primeira volta. Na segunda volta, Lú Olo perdeu a favor do candidato José Ramos-Horta.

Com base no Decreto-Lei n⁰ 20/2009, de 24 de Abril e Decreto Presidencial n⁰ 25/2009, de 30 de Agosto, Lú Olo recebeu, em 30 de Agosto de 2009, pelas mãos do Presidente da República, José Ramos-Horta, uma das mais altas condecorações atribuídas pelo Estado de Timor-Leste, o Colar da Ordem de Timor-Leste, pelo seu contributo significativo em benefício de Timor-Leste e dos timorenses.

Em 20 de Agosto de 2011, Lú Olo foi novamente eleito Presidente da FRETILIN, nas eleições directas para a liderança do partido, sendo apresentado, a 13 de Janeiro de 2012, como candidato da FRETILIN a Presidente da República.

Com base no Decreto-Lei n⁰15/2009, de 18 de Março e Decreto Presidencial n⁰ 25/2009, de 30 Lú Olo foi condecorado em 2012 pelo Presidente da República, José Ramos-Horta, com a Medalha de Mérito, pelo seu contributo significativo para a paz e estabilidade nacional.

Assumiu, em Fevereiro de 2014, a Presidência da Comissão Preparatória da Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP), função que desempenhou com grande empenho e sucesso, reconhecidos publicamente pelo então Primeiro-ministro Kay Rala Xanana Gusmão.

Durante a sua carreira política, Lú Olo participou e discursou na 5.ª Sessão da Assembleia Paritária UE-ACP (25 de Novembro de 2002), na 3.ª Conferência dos Partidos Políticos Asiáticos na República Popular da China (Agosto de 2004), na Cimeira dos Presidentes dos Parlamentos, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas (Setembro de 2005).

Na sua capacidade de Presidente da FRETILIN participou na Conferência Nacional do Partido Trabalhista Australiano em Dezembro de 2011.

A 20 de Março de 2017, concorreu, pela terceira vez, às eleições presidenciais, como candidato do seu partido, tendo saído vitorioso, na primeira volta, com o voto favorável de 57.1% do eleitorado.

Em 20 de Maio de 2017, às 00:00 horas, Lú Olo foi investido pelo Presidente do Parlamento Nacional como o VI Presidente da República Democrática de Timor-Leste (o IV Presidente depois da restauração da independência de Timor-Leste a 20 de Maio de 2002).